Saturday

Alcoutim


O Guadiana corre ligeiro com pres­sa de chegar ao mar. 0 seu curso leva a Alcoutim, a vila adormecida no tempo, onde se descobre a alma do algarvio ser­rano. 0 lençol azul do rio dá vida aos montes áridos que cercam a povoação e traça a linha de fronteira entre terras lusas e espanholas. Na outra margem, as gentes da aldeia ribeiri­nha de Salazur cumprimentam o povo de Alcoutim que solta novas ao vento. Sem dúvi­da um quadro de invulgar beleza e serenidade.
Para gozar plenamente este cenário entre no castelo, outrora arruinado mas hoje um verde­jante e aprazivel recinto excelentemente recu­perado, e deixe-se invadir pela atmosfera idíli­ca. Feche os olhos, respire o ar puro e fique a ouvir o sussurrar do vento, que acaricia a folhagem das árvores, neste castelo de encan­tar construido à medida do mais infantil e irreal dos sonhos.
Atrás da beleza percorra as ruas, pujantes de velhas tradições artesanais que mãos laborio­sas não deixam perder. As peças de olaria, as mantas, colchas ou tapetes são solicitações irrestíveis aos olhos e a deliciosa lampreia ou a pequena tainha são fortes tentações a todo o apreciador de um bom garfo.

photo by Thomas Barto
Descobrir o Algarve CM

2 comments:

Vieira Calado said...

Pois é uma boa sugestão. Nunca lá fui. E Lagos, donde sou, não é muito longe...

mcorreia said...

estive lá este fim de Agosto e gostei muito (fiz o Guadiana até ao Pomarão)Mas a foto é da aldeia espanhola fronteiriça salvo erro San Lucar