Sunday

Vila Real de Santo António


O espanhol ecoa pelas ruas quase fazendo esquecer que a terra é portuguesa. Vila Real de Santo António tem Aiamonte por companheira e, entre elas, o Guadiana troca promessas de harmoniosa Gonvivência.
No jardim marginal, a brisa que vem do rio atenua o calor do sol do pico do dia e refresca o vai e vem de pessoas que da outra margem chegam no ferry. As gentes encaminham-se para a praça do Marquês de Pombal, aprazível terreiro que congrega a Igreja matriz, o tribunal e, ao centro, um obelisco em homenagem a D. José I. Daqui parte-se para o centro pombalino de ruas e quarteirões traçados pelo esquadro do iluminismo e enfeitados com as mil cores do bazar espalhado pelos passeios. Aproveite para comprar um dos típicos cestos de cana antes de mergulhar nas cálidas águas da praia de Monte Gordo. Seguindo o Guadiana chega-se a Castro Marim, onde o rio predomina na paisagem por entre os secos e bucólicos horizontes que cercam o morro.
Na vila em dia de festa, a banda filarmónica anima as ruas e a população entusiàstica diverte-se com a maratona de futebol a decorrer tarde fora.
Do Castelo o olhar alcança o carácter retintamente algarvio das casas brancas, envolvidas pelo branco quadricular das salinas, ganha pão para muitos castro marenses. Para dias de repouso e férias, Castro Marim convida a um mergulho ou a uma tarde de pesca nas águas do Guadiana.

photo by Marjonnabar
Descobrir o Algarve CM

1 comments:

Vieira Calado said...

Cá para mim o Marquês de Pombal é que não estará a gostar muito da festa...